sábado, 27 de outubro de 2012

Prêmio de Produtividade só será pago em 2013


Os servidores do governo de Minas Gerais receberão o Prêmio de Produtividade referente ao exercício de 2011 somente no primeiro trimestre de 2013. A gratificação - concedida aos funcionários de acordo com as metas estabelecidas e, consequentemente, atingidas por órgão ou entidade - deverá custar aos cofres do Estado, aproximadamente, R$ 1,8 bilhão. No ano passado, aproximadamente 400 mil servidores estaduais foram beneficiados.
A definição do pagamento do bônus no ano que vem foi tomada durante a última reunião do Comitê de Negociação Sindical (Cones), no dia 11 de outubro. A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) informou que a execução não será feita neste ano e só deverá ocorrer entre janeiro e março de 2013.

Apesar de, tradicionalmente, ser pago entre os meses de setembro e outubro - como aconteceu nos anos de 2008, 2009 e 2010 - desta vez, o benefício pode chegar até seis meses mais tarde. O governo de Minas, no entanto, ameniza e não entende que exista nenhum "atraso" do pagamento. De acordo com a assessoria de comunicação da Seplag, o pagamento não sofrerá retardo "já que a lei não fixa data para pagamento".
Este é o segundo ano consecutivo em que o governo de Minas rompe o costume de pagar o Prêmio Produtividade no mês de setembro. No ano passado, os servidores correram o risco de ficar sem o benefício.

Em outubro de 2011, o governador Antonio Anastasia (PSDB) chegou a pedir cautela e vinculou o pagamento do Prêmio de Produtividade ao aumento da arrecadação estadual. Após diversos adiamentos, o benefício foi pago no início deste ano e dividido em duas parcelas. A primeira, depositada em 30 de janeiro, e a segunda, no dia 28 de fevereiro. Ao todo, os pouco mais de 397 mil funcionários do Estado receberam um montante de R$ 507 milhões.

Histórico. Instituída pela Lei 17.600, promulgada em 1º de julho de 2008 pelo então governador Aécio Neves (PSDB), o Prêmio de Produtividade é um bônus a ser pago aos servidores que sejam signatários do Acordo de Resultados, que prevê a vinculação das promoções e outros benefícios da carreira ao seu programa de metas do governo. É preciso também que o órgão a qual o servidor esteja vinculado obtenha resultado igual ou superior a 70% na Avaliação de Desempenho Institucional.

Para ter direito ao benefício, o servidor deve ainda ter trabalhado durante, no mínimo, 90 dias no ano em exercício. O valor do pagamento é proporcional aos dias trabalhados.

Em 2008, primeiro ano da aplicação do Prêmio Produtividade, R$ 200 milhões foram divididos para 240 mil funcionários públicos de 45 órgãos entidades da administração direta e indireta.
 
Servidor ainda não foi informado sobre mudança
Preocupados com o novo modelo de Avaliação de Desempenho Individual, que será adotado pelo governo de Minas a partir de 2013, como revelou O TEMPO ontem, os sindicatos devem ser os últimos a ser comunicados sobre as alterações no sistema.

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) entrou em contato, por e-mail, na tarde de ontem, e informou às entidades que "a legislação referente à Avaliação de Desempenho dos servidores do Estado de Minas Gerais não será alterada sem o prévio conhecimento dos representantes dos servidores".

Entretanto, o novo modelo já tem definidos os cinco novos critérios de avaliação e foi apresentado a gestores e chefes de gabinete do governo.

Segundo a Seplag, os sindicatos podem propor alterações no novo formulário durante a reunião do
Comitê de Negociação Sindical, que se reúne em novembro.

A falta de diálogo sobre as decisões do governo do Estado e a provável subjetividade dos critérios do novo modelo são as principais preocupações dos servidores.

"Tem sido prática do governo a definição de políticas de salários, carreira e outras questões funcionais sem a participação do servidor, como foi o caso desta mudança na avaliação de desempenho", criticou a presidente do Sind-UTE, Beatriz Cerqueira. (LP)

# Compartilhar :

7 comentários

avatar
Anônimo DeleteReply

eu garanto que ano que vem eles não irão fazer hora com o funcionario publico , ano das eleiçõeis tudo vai ser bom para nos eles ficam bonzinhos

avatar
Anônimo DeleteReply

Um absurdo, desviando verba para Copa do mundo e nos sem o Premio de Produtividade...Acorda Brasil!!!Nao temos condicoes de receber este povo que vira so para trazer doencas, despesas e outras coisas...tantos outros passando fome e fazendo um absurdo de construcoes que depois da copa nao podera ser usado, igual nos outros paises que ja tiveram a copa.Temos que brigar pelo nosso direito!!!Afinal de contas trabalhamos para isso!!!

avatar
Anônimo DeleteReply

Cabo coelho fez um discurso no dia da festa do clube sobre uma possivel reunião para falar do uniforme do CTPM, BALELA... Cobrei a reunião e não tive resposta da diretoria... Acho que ele pensou que eu eatava ali para comer pipoca...

avatar
Anônimo DeleteReply

Independente da copa, o servidor do estado de Minas deveria ter o seu verdadeiro valor, como tem os governantes.
Queria ver nossos governantes se virarem com o nosso maravilhoso sálario de professor! kkkkkkkk kkkkkkkkkkkkkkkkkk srsrsrrsrsrsrsrsrsrsrsrrs............

avatar
Anônimo DeleteReply

É impressionante como administração manipula o salário do servidor publico. Um direito do trabalhador e até agora não se sabeta valor do pagamento e muito menos a data. Ficamis feito bonecos de pano e nimguem faz nada. Um sindicato de merda que só sabe tirar dinheiro todo mes do trabalhador mês dia de abril está chegado lá vai um dia de meu trabalho, meu IPVA venceu,meu IPTU tambem pago ICMS todos os dias. E cade o dinheiro para pagar aqueles que cuidam de educar seus filhos enquanto vc mama nas tetas do governo. Cade vcs deputados e senadores que bateram em minha casa para pedindo para me representar.. xiiiiiiiiii sumiu todos. ACORDO ELEITORES CULPADO POR ISTO SOMOS NOS MESMO.

avatar
Anônimo DeleteReply

sou auxiliar de serviços de educação básica e estou recebendo menos do salario minimo atual,isso é uma vergonha,mas não pra nós trabalhadores e sim pra esses politicos q nem sabe o q fazer com o deles,deveriam trocar com agente pelo menos um mês pra ver o q consiguiria fazer com essa miseria.

avatar
Anônimo DeleteReply

Sou professora PEB3P,e apostilada 7/10 como diretora D3A,depois que foi imposto o regime de subsidio como forma de pagamento,nunca mais recebi o apostilamento.Já procurei a SRE e enviei e-mail para Ouvidoria.Mas nada foi resolvido.É uma vergonha o que esse governo tem feito com os profissionais da educação de Minas Gerais.Trabalho na área desde 1985 e muito me arrependo de ter dedicado anos e anos.Espero que os jovens procurem outras profissões e aí vamos ver como será sem professores.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Início